Movimento Aircooled

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

História do Fusca no Brasil


1970 - Nasce o sedã 1500, apelidado de "Fuscão", com motor de 52 cv SAE, bitola traseira 62 mm mais larga que a do 1300, barra compensadora no eixo traseiro, capô do motor com aberturas para ventilação e novas lanternas traseiras incorporando luz de ré. Seu acabamento era mais luxuoso e já vinha com cintos de segurança. O Fusca 1300 desse ano, tal como o Fuscão, ganhou pára-choques de lâmina única mais fortes e resistentes, capô do motor e do porta-malas redesenhados. 1973 - Os dois modelos 1300 e 1500 passam a ser equipados com novo dispositivo distribuidor de avanço vácuo-centrífugo e com carburadores recalibrados, para otimizar o consumo de combustível. Novos faróis mudaram o desenho dos pára-lamas. 1974 - Mudanças fundamentais nos dois sedãs 1300 e 1500 e lançamento do VW 1600-S, o Super Fuscão, com motor de dupla carburação que desenvolvia 65 cv SAE, tinha volante de direção esportiva de três raios, e painel com marcador de temperatura, relógio e amperímetro. Em 1975 era o ano do Fusca 1500 1975 - Mais segurança ainda: chassi e trilhos dos assentos reforçados. A linha foi ampliada com os modelos 1300L e 1600 (tida como versão normal do Super Fuscão). 1976 - Outra vez a segurança: espelho retrovisor externo maior e em nova posição, limpadores de pára-brisa maiores e com nova fixação. 1977 - Um ano de muitos aperfeiçoamentos: coluna de direção retrátil que protege o motorista em caso de choque frontal, duplo circuito de freios independentes, com luz de advertência no painel para evitar qualquer anormalidade no sistema de iluminação regulável;comando do limpador do pára-brisa na coluna de direção, espelho retrovisor interno destacável em caso de choque e reforços estruturais na carroceria e chassis. 1978 - Mudança do bocal do tanque para a lateral direita do carro, interruptor do pisca - alerta transferido para a coluna de direção e chave única para portas, capô do motor e ignição. 1979 - Volante de direção em polipropileno texturizada, novo espelho retrovisor externo de formato retangular. Lanternas tipo "Fafá" e pára-lamas traseiros reestilizados nos Fuscas 1300 L e 1600. Anos 80 Apesar de ser conhecido no Brasil como Fusca desde os anos 50, só em 1984 veio o "batismo" oficial. Afinal, a essa altura, o carro mais popular do país não era conhecido por um outro nome. Mas a década de 80 também marca o final da produção do Fusca. Foi em 1986, quando a Volkswagen noticiou a descontinuidade do modelo e tocou fundo o coração de milhares de brasileiros. Era o fim de uma época não só no Brasil, mas em quase todo o mundo. Sob o signo da modernização, a Volkswagen investe em tecnologia e introduz sofisticados robôs em suas linhas de montagem. O produção do Fusca era extremamente manual para os anos 80 e o modelo não permitia o desenvolvimento de modelos derivados, o que se tornou uma característica dos carros mais modernos. Mas um dos fatores mais determinantes do fim do Fusca foi a grande queda em suas vendas, logo após a introdução da família BX (Gol, Voyage, Parati e Saveiro).


Nenhum comentário:

Postar um comentário