Movimento Aircooled

sábado, 19 de novembro de 2011

História fusca no Brasil


1982 - é lançado o Fusca 1300 com motor a álcool. 1983 - A linha de sedãs VW fica restrita aos modelos com motor 1300 que passam a se chamar, oficialmente,Fusca, e incorporam uma caixa de câmbio do tipo "Life-Time", que dispensa a troca periódica de óleo lubrificante. Aquecimento interno, painel forrado, filtro de ar em banho de óleo e ignição eletrônica para os Fuscas com motor a álcool. De série, os Fuscas com motor a álcool têm carburadores e bomba de combustível com nova proteção anti-corrosiva, novo filtro a álcool, e válvulas termo-pneumático localizadas na entrada dos filtros de ar. 1984 - Desaparece o motor 1300 e surge um novo 1600, com pistões, cilindros e cabeçotes redesenhados, válvulas de escapamento maiores e novas câmaras de combustão que melhoram a queima da mistura ar/combustível. Novos freios a disco dianteiros e barra estabilizadora traseira. 1985 - Para comemorar o lançamento do linha 85 uma série especial do Fusca passou a ser comercializada. Era um modelo produzido exclusivamente na cor verde Cristalino metálica, com motor 1.6 a álcool, de dupla carburação.Na versão normal o acabamento interno ficou mais luxuosa. 1986 - O Fusca passou a ser oferecido com uma única versão a gasolina ou a álcool. Mais luxuosa, inclui entre outros itens painel de instrumento forrado, volante espumado e bancos reclináveis com apoio de cabeça,além de janelas laterais traseiras basculantes. Nesse ano o Fusca deixa de ser fabricado no Brasil. Anos 90 O que parecia impossível aconteceu. Em 1993, a pedido do então presidente Itamar Franco, a Volkswagen volta a fabricar o Fusca. A idéia era combater o desemprego, estimular a produção de automóveis e oferecer uma alternativa popular de carro. Após oito meses de preparativos e investimentos de US$ 30 milhões, o Fusca estava de volta trazendo junto 800 novos empregos diretos, 24 mil indiretos e inovações que o faziam melhor do que o modelo retirado de linha sete anos antes. Vidros laminados, catalisador, barras estabilizadoras na traseira e na frente, pneus radiais, freio dianteiro a disco, reforço estrutural, cintos de segurança de três pontos são alguns exemplos de melhoras, sem falar nos avanços tecnológicos do processo produtivo. Para se ter uma idéia da volta do modelo ao mercado, basta ver sua lista de espera, formada por treze mil inscritos. No final do milênio, o Fusca surpreende mais uma vez. Depois de ser novamente retirado de linha, volta em 98 completamente reformulado, tanto no projeto quanto na tecnologia arrojada, mais ajustada ao próximo milênio. Em pouco tempo, a mesma sensação causada, no passado, pelo carro do século já é revivida pelo Novo Fusca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário